Idioma:

Os encantos da Amazônia diretamente da “Árvore da Vida”: Óleo de Buriti

Home / Os encantos da Amazônia diretamente da “Árvore da Vida”: Óleo de Buriti

Os encantos da Amazônia diretamente da “Árvore da Vida”: Óleo de Buriti

Diretamente das florestas densas e úmidas do norte do Brasil, há uma árvore, muito popular entre a população local, que pode chegar a grandiosos 25 metros de altura. De dezembro a abril é possível acompanhar a sua época da floração, com flores de coloração amarelada. Entre a folhagem, de dezembro a junho, destacam-se frutas redondas, cobertas com escamas brilhantes de cor marrom-avermelhada. Na região amazônica, essas árvores crescem em áreas úmidas ou alagadas e no cerrado, nas terras baixas e pantanosas.

O buritizeiro, conhecido como a “Árvore da Vida”, pertence à família das palmáceas e a espécie mais comum é a Mauritia flexuosa. Sua fruta tem uma polpa amarela, cobrindo a semente com amêndoa comestível. Desta árvore aproveita-se de tudo: as folhas para artesanato, a polpa, chamada “vinho” formam sucos doces, e são muito apreciadas na região. Com a semente ainda produz botões, semi-joias e até joias (com prata ou ouro).

Figura 1. Os frutos e óleo do buriti.

Mas, uma das maiores riquezas produzidas por esse fruto é o óleo de buriti. De coloração avermelhada, as propriedades deste óleo há muito tempo são exploradas pelas comunidades das regiões produtoras. Um exemplo é a ação deste óleo como desintoxicante, testado contra picadas de cobra e escorpião, além de auxílio na cicatrização de feridas, aplicado diretamente na região a ser tratada.

Estima-se que cerca de 500 pessoas estejam direta e indiretamente envolvidas com a produção deste óleo, desde o tratamento da matéria-prima no campo, até a extração final. Desta maneira, o Grupo Citróleo, em apoio às comunidades produtoras, estuda e aprimora o conhecimento gerado nessas décadas de uso desse óleo, e potencializa seu poder de ação. Além de fornecer equipamentos, insumos e profissionalizar as famílias produtoras, essa troca de informações fortalece ainda mais esse cultivo, tão importante na geração de renda destas pessoas.

Figura 2. Mulheres trabalhando no preparo do óleo de buriti.

Em diversos estudos, o óleo de buriti se mostrou promissor para diferentes usos em cosméticos. Ele é rico em ácidos graxos essenciais para uma composição cosmética balanceada e eficaz. Neste óleo encontram-se o ácido oleico, palmítico e linoleico, interessantes para, entre outras aplicações, promover efeito benéfico no processo de cicatrização, plasticidade e grande poder de penetração na pele. A sinergia entre todos os componentes presentes na sua composição natural ainda leva a regeneração da barreira hidrolipídica e protetora da pele.

Ainda, o óleo natural, bruto e puro, isto é, que não passa por nenhuma etapa do processo de refino, apresenta expressivas quantidades de substâncias pró-vitaminas A e E. No óleo de buriti as concentrações de carotenoides podem alcançar concentrações até 20 vezes maiores que a cenoura, uma das mais conhecidas fontes desses compostos. Além disso, em conjunto com a vitamina E na forma de tocoferóis, auxiliam no combate à peroxidação lipídica e formam um escudo protetor na epiderme.

Desta maneira, o óleo de buriti é um dos mais potentes aliados no tratamento ao envelhecimento precoce e/ou aos danos causados por todas as agressões diárias à pele. De forma 100% natural, este óleo oferece a reparação tecidual e a neutralização de radicais livres, através da ação conjunta dos seus antioxidantes naturais. Para fortalecer ainda mais seu espectro de ação, sua fração lipídica estimula a proliferação celular.

Assim, o óleo pode auxiliar não somente no envelhecimento intrínseco da pele, aquele que ocorre por causas naturais, como também no envelhecimento causado por exposição contínua à radiação solar e à poluição, por exemplo. No primeiro caso, o óleo vegetal pode ajudar na reposição do filme hidrolipídico sobre a epiderme, melhorando a sua textura e amenizando os sinais de expressão. Com relação ao envelhecimento extrínseco, seus componentes antioxidantes naturais protegem a pele e evitam a perda de sua elasticidade.

Ainda pode-se fazer uma extensão desse potencial de ação para aplicações em produtos capilares. Devido à composição nutricional do óleo de buriti bruto, este ingrediente pode fornecer o tratamento necessário para cabelos expostos à ação química de tinturas e alisamentos e pode devolver vida aos fios, nutrindo-os de maneira natural. Além dos carotenos e dos tocoferóis, já foram reportadas as presenças nesse óleo de vitamina C, cálcio, fósforo e ferro.

Neste sentido, o óleo de buriti engloba uma tendência de mercado conhecida como Skin Food, que são produtos multifuncionais que, além de performance, fornecem nutrição para a pele mantendo-a hidratada e protegida, além de promover tratamento e revitalização.

O óleo de buriti fornecido pela Citróleo é 100% natural, pois mantém conservados todos os componentes de interesse naturalmente presentes nos frutos. Ele não passa por nenhum tipo de processo após sua obtenção, porém, devido a todo o cuidadoso processo de manejo e tratamento com as sementes e frutos nos campos, este óleo é estável e possui baixos índices de acidez e peróxido.

Figura 3. Treinamento Técnico sobre o buriti com as comunidades produtoras.

A Citróleo se preocupa não só com o fornecimento regular desta matéria-prima, mas também com os altos padrões de qualidades necessários para manter todas as características inerentes ao produto. Assim, respeita-se o tempo natural de maturação, conservando-se toda a composição química e nutricional natural dos frutos. Desse modo a empresa fornece ao mercado o óleo de buriti com completa cadeia de fornecimento limpa e rastreável, de maneira a fornecer soluções eficientes e com responsabilidade socioambiental para o mercado da beleza.

Referências

CYMERYS, M et al., Buriti in: Frutíferas e Plantas Úteis na Vida Amazônica. Disponível em: http://www.cifor.org/publications/pdf_files/Books/BShanley1001/187_194.pdf Acesso: Maio, 2019.

De ARAÚJO, V. F. et al., Plantas da Amazônia para Produção Cosmética, Universidade de Brasília ‐ UnB, 2007.

MORAIS, L. R. B.; GUTJAHR, E. Química de Oleaginosas Valorização da Biodiversidade Amazônica, Brasília, DF: GTZ, 2009. 83 p.