Idioma:

Green Behenic: Novo agente condicionante com Tecnologia alinhada à Natureza

Home / Green Behenic: Novo agente condicionante com Tecnologia alinhada à Natureza

Green Behenic: Novo agente condicionante com Tecnologia alinhada à Natureza

Estima-se que no período entre 2003 e 2013, a demanda do mercado global de alimentos e cosméticos pelo óleo de palma fez com que a produção desta praticamente dobrasse. Contudo, na contramão desta demanda, um estudo liderado por pesquisadores da Universidade de Duke nos EUA (2016) mostra que 45% do óleo de palma produzido no sudeste asiático são de áreas desmatadas que originalmente eram florestas tropicais. Esses índices são ainda maiores para o Equador (60,8%) e Peru (53,1%). No Brasil, 39,4% da área cultivada para produção de óleo de palma é fruto de desmatamento de florestas úmidas, como a Amazônia.

A expansão deste nicho de mercado, além do seu legado de devastação florestal, oferece riscos para toda a biodiversidade desses países produtores, que estão vulneráveis à diminuição e extinção de suas espécies. Isso sem levarmos em conta os níveis mundiais de emissão de gases do efeito estufa decorrentes desse desmatamento.

Visando o cuidado com a natureza, seu precioso ativo, o Grupo Citróleo acredita que é possível continuar com a qualidade garantida dos produtos mantendo o equilíbrio entre tecnologia e a conservação da biodiversidade, sem carregar em sua cadeia de produção o desflorestamento e consequentemente a extinção de animais, a poluição do ar e água, e tantos outros malefícios.

Lançou recentemente uma nova linha de surfactantes de origem natural, a CitroTech, que conta com produtos obtidos a partir de óleos brutos vegetais da floresta Amazônica.

– “Os frutos são extraídos por comunidades extrativistas, respeitando o período da safra. Contamos com uma equipe de desenvolvimento de negócios sustentáveis em nossa filial no Pará que apoia as comunidades com treinamentos sobre como coletar e selecionar as sementes com qualidade, promovendo e conscientizando o uso sustentável da floresta, mantendo a floresta em pé”, conta Juliano Della Coletta, Diretor de Operações da Citróleo.

Acrescenta ainda que a Citróleo está atenta as tendências de uma forma global e direciona seus esforços à um crescente mercado, que busca por produtos oriundos de uma cadeia de produção limpa, eficiente e principalmente transparente. Neste cenário, garante eficácia comprovada na fabricação de seus surfactantes, que conservam e enaltecem as características únicas e especiais de seus produtos de origem.

Dentro desta linha, apresentamos o Green Behenic (BAPDMA ou Behenamidopropyl Dimethylamine), um agente condicionante primário, de alto desempenho, fruto de intensas pesquisas em uma tendência mundial: produtos que disciplinem fios rebeldes, ou como mais popularmente conhecido, “desmaia cabelo”.

Outro grande benefício deste produto ao meio ambiente, é que ele é um tensoativo não iônico (que em meio ácido apresenta caráter catiônico); isso porque, principalmente impulsionado pelas restrições europeias, observa-se um declínio no uso de tensoativos capilares catiônicos, especialmente tóxicos para os ecossistemas marinhos.

O Green Behenic (BAPDMA) possui excelente poder condicionante com inigualável sensorial final. O produto aumenta o brilho dos cabelos, rapara parcialmente os danos causados por agentes externos como o secador, chapinha e alisamentos. Além disso, ele confere alto poder desembaraçante, penteabilidade a úmido e a seco, toque macio e redução de frizz e volume. Ainda assim não pesa os fios, pois é completamente adsorvido pela superfície negativamente carregada do cabelo, garante Rafaella Tomazini Candido, analista técnica da Citróleo.

O produto, como tem origem vegetal, é biodegradável, com baixa alergenicidade e principalmente, é livre de óleo de palma, diferente de outros ativos presentes e, infelizmente, consagrados no mercado como a Stearamidopropyl Dimethylamine – SAPDMA. O Green Behenic (BAPDMA) pode ser formulado em condicionadores, cremes de pentear, cremes de tratamento, séruns, shampoo, entre outros.

Em particular, os benefícios encontrados na utilização do Green Behenic (BAPDMA) ocorrem devido ao seu óleo de origem, composto por ácidos graxos em uma relação equilibrada de aproximadamente 50/50 entre saturados e insaturados (observação esta que indica consistência e orienta um uso final). Seu constituinte principal é o ácido oleico (C18:1), também chamado de ômega-9.

Mas a particularidade deste óleo é a alta concentração dos ácidos graxos de cadeia longa, o ácido graxo behênico (C22:0 – ácido raramente encontrado em outros óleos em grande quantidade) e lignocérico (C24:0), que juntos somam quase 30% da concentração total da cadeia graxa. O óleo ainda contém β-carotenos (pró-vitamina A), tocoferóis e tocotrienóis (vitamina E), em torno de 0,69% de matéria insaponificável total.

De maneira muito única, todas essas propriedades do óleo de origem são conservadas no Green Behenic (BAPDMA) uma vez que toda a cadeia graxa é utilizada durante o processo de fabricação do surfactante. Esse diferencial faz com que o produto do Grupo Citróleo seja superior em performance e sensorial em relação a similares do mercado.

Figura 1. Imagens do teste realizado com 25 voluntárias para comparação entre o Green Behenic (BAPDMA) e o derivado da palma.

Para esta avaliação, foram conduzidos testes em voluntários, além de testes laboratoriais em mechas, de maneira comparativa entre o Green Behenic (BAPDMA) e um surfactante convencional, derivado do óleo de palma, o SAPDMA. A figura 1 ilustra de maneira prática os resultados obtidos, diretamente nos receptores finais do produto. No lado direito (verde) de ambas as imagens, o cabelo encontra-se mais alinhado, com menos frizz e volume, em relação ao lado esquerdo (rosa). Este teste mostra ainda a versatilidade do Green Behenic (BAPDMA), pois seu resultado foi verificado tanto em cabelos quimicamente tratados, como cabelos fios mais naturais.

Tabela 1. Formulações usadas para o estudo comparativo entre a BAPDMA e SAPDMA.

Nesta mesma avaliação de eficácia, uma pesquisa subjetiva in-house, a apreciabilidade cosmética mostrou que 86,0% dos participantes consideraram o produto bom/excelente com relação à penteabilidade (molhado, úmido e seco), além de maciez e brilho (formulação básica de condicionador, e em relação ao uso da SAPDMA). Além disso, consideraram os cabelos com menos frizz (61,0%) e volume (72,9%), resultados também comparativamente à SAPDMA. Os testes em mechas ainda revelaram que o surfactante auxiliou na definição de cachos e alinhamento dos fios.

Figura 2. Teste em mechas mostrando o efeito duradouro (foto após 24 horas), definição de cachos e
defriz alcançados pelo Green Behenic (BAPDMA) em comparação ao surfactante derivado da palma.

Em sendo assim, o grande objetivo da nova linha do Grupo Citróleo, alinhada com a visão e missão da empresa em promover a natureza como ela é, é garantir o bem-estar e o futuro das novas gerações com tecnologia de produção de matérias primas verdes, sustentáveis e eficazes.